quarta-feira, 1 de abril de 2009

Os Dois Lados da Moeda



“Mãe, eu te odeio!”

Essa frase era praticamente rotina durante a minha adolescência e até mesmo depois.

Minha mãe era o meu monstro, meu maior problema e a razão de tudo que era ruim na minha vida.

Eu percebia que as mães das minhas amigas cuidavam muito bem dos seus filhos e seus maridos, mas minha mãe era diferente…
Eu cresci acostumada com o meu pai cozinhando, limpando e lavando e isso pra mim era revoltante! Como ela podia deixar isso!

Meu pai, era o meu herói, minha mãe… a bruxa!

Nosso relacionamento sempre foi problemático e com o tempo estava ficando ainda pior. Sempre comparava minha mãe com as outras mães ou minha tia que cuidou de mim logo que nasci, e ficava com mais raiva dela…

Muitos anos depois…

O outro lado da história … O lado da minha mãe…

“Eu daria a minha vida por ela… Logo depois do meu parto, quase morri e nunca mais fui a mesma, foi quase um ano em coma e tanta medicação… E mais o fato de que por todo aquele tempo não estive com o meu bebê, mas minha irmã que cuidou dela… As duas se dão tão bem e às vezes sinto que ela é a mãe e eu sou a madrasta! Eu simplesmente não sei como lidar com isso.”

“É uma luta, todos os dia preciso acordar às 4:30 da manhã para ir trabalhar, para que assim possamos pagar um bom colégio para ela.”

“Acordando muito cedo e chegando tão tarde do trabalho, não consigo ser uma mãe como as outras, me sinto tão cansada e não tenho tempo pra nada, graças à Deus, meu marido me ajuda, pois seus horários são mais flexíveis, mas às vezes até mesmo ele não me entende…”

“Eu me esforço tanto, mas ainda assim, ela parece não se importar e não me respeita, grita comigo, me xinga, mas ainda assim… Ela é minha filha e eu a amo, talvez eu não saiba como demonstrar, mas a amo demais.”

“Sei que não sou como as outras mães, mas não tenho escolha, trabalho demais e não sei até quando vou ter forças, mas faço isso pensando na Nanda, para que ela tenha uma vida melhor que a minha…”

Minha mãe nunca me disse essas coisas… Deus me disse!

Somente depois do meu encontro com Deus, eu pude ver o outro lado da moeda. Somente então, eu pude verdadeiramente amar, entender e valorizar minha mãe.
Deus retirou a venda dos meus olhos!

Eu pude então enxergar o lado dela. Ela não era perfeita, mas eu também não era fácil!

Naquele dia eu pedi perdão à ela, lembro como se fosse hoje, chorei muito… Era como se um enorme peso estivesse sendo retirado das minhas costas, não tinha mais ódio ou mágoas!
Me senti leve como nunca!
Hoje, a amo e admiro por tudo que fez. Nos damos super bem e somos amigas.

Você já teve uma amiga que veio te falar de outra e você ficou furiosa, mas quando ouviu o lado da outra, você compreendeu a situação?

É, eu também…

Assim como a moeda tem dois lados, toda história tem dois lados também, o problema é que esquecemos disso, ou simplesmente não queremos ouvir…

E você? Qual o outro lado da sua história…?



16 comentários:

Marcella Fonseca disse...

Pois e amiga, eu tbm ja passei por essa fase " aborrecente" de culpar a minha mae por tudo de errado na minha vida...e tbm costumava compara-la muito com as maes das minhas amigas.
So depois que tive um encontro com Deus, pude perdoa-la e aceita-la do jeito que ela e...com seus defeitos (quem nao os tem?) e suas qualidades, mas nao foi facil nao.
Foram anos de "terapia espiritual" e hoje ela ate mora comigo!
Bjocas,
Marcella

Gleice Valentim disse...

Eu vivi uma situação bem parceida , pra não dizer idêntica só que o autor era meu pai,só Deus sabe o quanto eu sofri, eu tinha tantas mágoas dele que teve um dia que pensei em fugir de cada e era só uma adolescente , mais isso me vinha a mente a cada briga, pricipalmente quando eu apanhava até sem motivos,nós dois em casa era como dois estranhos mal nos cumprimentava, finaceiramente ele sepre foi um pai exemplar , mais o relacionamento pai e filha ja não podia dizer o mesmo.Alguns anos depois eu conheci Jesus na iurd e pude enxergar o outro lado da moeda,através de muitas orientações fui aparendendo a lidar com a situação,hoje eu entendo que foi por ele que eu cheguei até Deus , foi por não suportar mais aquela situação,meu pai ainda não é convertido por isso ainda enfrento muitas lutas,mas Deus me dar sabedoria para enfrentar cada situação.
Eu amo meu pai e sei que Deus estar trabalhando em seu coração.
♥bjs♥

Anônimo disse...

OI Dna.Nanda, é verdade..as vezes vemos apenas um lado e outro não vemos ou não queremos ver...Muito interessante esse post
Deus a abençoe!

elizabeth disse...

D.Nanda,como chorei agora,as 9:04am,eu me derramando na frente do computador,não pq a história é só emocionante,mas por ser uma verdade tão forte,forte como a minha e da minha mão,minha vida com minha mãe era o verdadeiro inferno,existiam coisas que eu mesmo sendo uma louca não fazia nem com as pessoas que eu não gostava,eu canalizava tudo nela,e ela por sua vez,sempre calada,sempre me amparando,até me acobertando,hoje pela misericórida de Deus tudo é diferente,hoje minha mãe tem a filha que ela merece.Obrigada por me lembrar disso,assim eu pude novamente me lembrar que a cada dia eu preciso ser melhor,mais amiga,intima e leal a ela.
Deus te abençoe
Em paz
Beth

Anônimo disse...

Olá, Nanda,

Fico muito feliz por saber onde se encontra e poder ter esta forma de contacto com você.

Gostava que a Zé e a Rafa do antigo Coisas de Mulher também fizessem um blog para podermos manter o contacto.

Costumo acompanhar o blog da Cristiane e encontrei o seu blog.

Este posting emocionou-me muito e fez-me reflectir nalguns aspectos da minha vida...

Vou continuar a acompanhar o seu blog e gostava de ver algumas fotos daí da Namíbia...mas tiradas por si! ;)

Deus a abençoe.

Bjinhos,
Márcia
Portugal

thais disse...

D. NANDA SUA HISTORIA É MUITO PARECIDA COM A MINHA. SEMPRE VI MINHA MÃE COMO A CHATA, A QUE NÃO ME ENTENDIA, A QUE DAVA MUITO MAS ATENÇÃO AOS MEUS IRMÃOS.PARA MIM MEU PAI ERA MEU HERÓI... CHEGUEI A DEMONSTRAR ISSO VARIAS VEZES A MINHA MÃE, NOSSA COMO PUDE FAZER ISSO COM ELA!!!
E ASSIM COMO A SENHORA QUANDO ME CONVERTIR DESCOBRIR O QUANTO ELA ERA VALIOSA PARA MIM. VIVEMOS INTENSAMENTE EM APENAS DOIS ANOS UM AMOR QUE EM 15 ANOS NÃO CONSEGUIAMOS DEMONSTRAR. DOIS ANOS APOS MINHA CONVERSÃO MINHA MÃE FALECEU...
MAS DEIXOU PARA MIM ALGO ESPECIAL QUE FOI A FÉ.

Tatiane Gonçalves disse...

Me deu vontade de chorar, eu passei minha infancia toda com magoa de minha mãe, por que ela nunca estava presente, eu queria tanto ela comigo, queria que ela chegasse,ao menos, sem tano nervoso, queria ganhar presentes...queria que ela me levasse para passear, queria um natal como o da vizinha, quem me criou foi minha irmã... e eu nunca tinha visto o lado da minha mãe, uma mulher abandonada pelo marido, com 3 filhos pequenos, o mais velhos com 4 ANOS E EU a mais nova com 1 ano...
Minha adolecencia, foi pior ainda...
eu sempre culpava ela por tudo...
Eu fui para Jesus pela raiva q tinha dela!!!
Graças a Deus!!!
Deus me mostrou a mãe lutadora e sofredora, que eu tenho...
Espero poder retribuir o amor e cada coisa q ela deu para mim...

Elaine Cristina disse...

Estou vendo uma amiga passar por essa situação da filha dizer que a odeia , essa minha amiga tem sofrido muito e não sabe como agir. Vou indicar o blog da senhora tanto para ela como para a filha. Deus abençoe a senhora por permitir a gente saber de suas experiências, isso tem nos ajudado.

Anônimo disse...

Olha d. Nanda se muitos jovens tivessem a oportunidade de ler este artigo muitos relacionamentos entre pais e filhos seriam reconstruídos...pois é muito forte esse testemunho pois é real e baseado em uma vida verdadeira nao como em cinemas ou novelas nao é um conto mas sim um relato da vida real e a conclusao q somente apos o encontro com DEUS podemos enxergar o OUTRO LADO DA MOEDA...UM GRANDE ABRAÇO PARA A SENHORA ....ELAINE ...REPUBLICA DOMINICANA

Vanessa Lampert disse...

O pior é minha irmã, que inclusive frequenta a IURD há mais tempo do que eu (que estou há dez anos), que durante a adolescência entendia, admirava e apoiava minha mãe, inclusive quando ela decidiu, em 1981 (eu tinha um ano) se separar de meu pai, que a traía.

Depois da morte do meu pai, em 2002, parece que tudo virou de cabeça para baixo. Minha irmã, hoje com 43 anos, não fala mais com minha mãe, a culpa por tudo o que aconteceu de ruim na vida dela, se sente prejudicada e rejeitada, tem raiva da minha mãe e de mim (pois continuo ao lado de minha mãe e talvez ela sinta que eu tenha tomado o lugar dela, o que não é verdade)e participa de esquemas armados para prejudicar minha mãe, inclusive na justiça.

Inventa mentiras, acredita nelas e as espalha...o negócio é surreal...continuamos orando para que ela tenha um encontro com Deus e que o Senhor quebre o coração de pedra e a faça enxergar a verdade, que o mundo que ela criou não existe.

O pior é isso, quando a pessoa tem toda a informação, é religiosa, acha que está certa e vive no engano. Quando eu era adolescente me indignava com meu pai porque não me colocava no lugar dele, achava que ele era mais forte do que eu pensava. Depois entendi e isso foi resolvido em mim. Já faz cinco anos que minha irmã perde tempo de conviver com minha mãe, que vai fazer 69. Creio que Deus restaurará nossa família ainda a tempo de ela restabelecer a convivência.

Minha mãe passou maus bocados com minha avó na infância, mas conseguiu entendê-la, nunca guardou mágoa, perdoou e hoje cuida dela, que está velhinha e doente, com todo amor e preocupação. Minha mãe é a única que não teve câncer nem morreu precocemente entre os irmãos dela. Dos seis filhos da minha avó, só dois estão vivos. E desses dois, só minha mãe está forte e saudável. Isso tem a ver com o fato de ela ter mantido limpo o coração. Ela é meu exemplo.

Beijos!

Gislaine disse...

ANtes de Me converter, eu não conseguia amar minha familia, n~]ao sabia o que era,mas não conseguia compreender a ninguem.
Graças a Deus o Senhor me fez enchergar a outra face da moeda

Marisa Motta disse...

OLÁ D. NANDA! me fez relembrar tudo que passei no passado,o qto sofri e paguei caro porisso,se não fosse meu encontro com Deus. hj não estaria escrevendo nesse blog,eu desobedeci minha mãe,eu dei muito trabalho pra ela,e colhi tudo na minha vida posso dizer que fui ao inferno e voltei,porisso digo sempre não passe por cima de seus pais,não desobedeça eles,hoje sempre que eu lembro peço perdão a minha mãe por cada lágrima que ela derramou por mim. meu testemunho de vida está em comunidade.arcauniversal.com / marisa sede sjcampos

camila disse...

Quando eu não era convertida também costumava culpar a minha mamãe de tudo de ruim que acontecia comigo...Só que eu não percebia que era eu mesma que acabava comigo...

Ana Elisa Ribeiro disse...

Mesmo depois de me converter eu ainda tinha muita mágoa da minha mãe por fatos que ocorreram quando ela era moça (muito antes de eu nascer),no fundo eu nunca a tinha perdoado, ontem na reunião da busca pelo Espírito Santo a palavra discorreu justamente sobre o ladrão que tinha sido perdoado por Jesus na cruz, quer dizer,quem sou eu para guardar mágoa se até Jesus perdoou enquanto todos O crucificavam e puniam?Minha ficha caiu,pedi perdão a ela de todo o coração, agora só falta (ainda preciso ir visitá-las pessoalmente porque moram em outro estado) perdoar e pedir perdão também às minhas irmãs, de coração eu já perdoei mas no fundo tenho a necessidade de perdoá-las pessoalmente...

izabela gonçalves disse...

Olá dona nanda, tudo bem com a sr?
Eu estava lendo esse artigo que a sr postou, e eu me sinto assim minha mãe é a bruxa e meu pai o héroi.
Eu amo muito minha mãe, mais tem horas que não dá mais pra conviver com ela dá vontade de sumir. Nós brigamos aí eu fico com muita raiva dela e depois ela faz coisa que me envergonha de ter raiva dela, que derrete meu coração eu estou numa fase da minha vida que eu estou muito confusa e peço que a sr. por favor ore por mim que eu não sei mais o que eu vou fazer, eu tenho medo da minha mãe, porque uma ora ela esta dócil e na outra hora ela esta super nervosa ai eu fico nervosa também e aí já viu né?
Eu tambem faço comparações com mães de minhas amigas elas não são nem da igreja e são super carinhosas. Dona Nanda eu não me acho uma filha ruim, não sou perfeita, caro, mais me esforço e parece que ela não ve.Ela me envergonha na frente de todo mundo, isso que me chateia.Eu quero dá um jeito nessa situação eu quero ser a melhor amiga da minha mãe mais não dá. Espero que A sr. me entenda pois quero em breve da o meu testemunho da minha vitória. por favor ore por mim...
bjs ;)

Anônimo disse...

Ola D. Nanda, eu tambem era assim, meu pai era o heroi e minha mãe a bruxa malvada, mas um certo dia meu pai me decepcionou de mais, e vendo hoje foi o que mais contribuiu para eu me firmar com Deus, não tenho magoa dele, nem raiva amo meu pai graças a Deus, e quanto a minha mãe sei que as vezes ela erra de mais, mas resolvi agir diferente, tento fazer tudo ao gosto dela, por mais que me doa, so para evitar magoas, zangas e raiva dela, consequencia, estamos nos dando super bem, tento olhar para o lado positivo dela, é muito difícil, mas não impossível, e graças a Deus não estou sozinha nesta jornada, Deus é comigo e todos conseguem ver, que eu sou a filha diferente, eu amo os meus pais, a minha madrasta e o meu padrasto...(meus pais são separados)

bjxxx Deus abensoe a senhora e a sua familia, para todo sempre